01 julho 2006

Sobre Gregório de Nissa

Gregório de Nissa viveu na Capadócia, região de cultura grega integrante do Império Romano, situada no atual território da Turquia. Nasceu no ano 332 AD na cidade de Cesaréia. Foi irmão de Basílio de Cesaréia (Basílio Magno) e amigo de Gregório de Nazianzo (ou Nazianzeno), ambos canonizados, assim como sua irmã Macrina. Faleceu em 390 AD.

Notável teólogo e mestre espiritual, Gregório de Nissa opôs-se ao Arianismo, que era favorecido pelo Imperador Valens e por muitos bispos.

Obras
A Vida de Moisés – Tratado sobre a Virgindade – Vida de Santa Macrina – A Catequese da Fé – As Beatitudes – A Criação do Homem – O Cântico dos Cânticos – Cartas.

Importância
Reconhecido como um dos Pais (ou Padres) da Igreja, Gregório de Nissa participou (com grande prestígio) do Concílio de Constantinopla, que deu forma final ao Credo de Nicéia – Constantinopla, até hoje rezado por todos os cristãos. Máximo o Confessor o chama de “Doutor do Universo”. O II Concílio de Nicéia o chama de “Pai dos Padres”. Philotheus Boehner e Etienne Gilson, no livro “História da Filosofia Cristã” (Vozes, 1988) afirmam que “do ponto de vista do vigor filosófico-especulativo, Gregório só é inferior a Orígenes entre os Padre Gregos”.

É festejado a 10 de Janeiro pelas Igrejas do Oriente. A Igreja Romana festeja Basílio Magno e Gregório de Nazianzo a 2 de janeiro. O Martirológio Romano o menciona discretamente a 9 de março, após São Francisco Romano. O Catecismo da Igreja Católica contém 8 citações de frases suas. Na Carta Apostólica “Orientale Lumen” (1995) o Papa João Paulo II reconhece a dívida da Igreja para com os padres Capadócios, e reconhece os fundamentos do “apofatismo” das Igrejas do Oriente.

Para mais informações sobre Gregório de Nissa e textos de sua autoria, acesse os sítios: http://www.bhsu.edu/artssciences/asfaculty/dsalomon/nyssa/home.html
http://xoomer.alice.it/giampib/

4 comments:

At terça-feira, 18 julho, 2006, Anonymous Anônimo said...

Sérgio, parabéns pelo blog. Temos agora mais uma fonte onde beber sabedoria e nesse sentido as palavras de Dom bernardo Schuh me tocaram especialmente: "Estar bem diante de Deus é melhor que sentí-lo. Não se queira sentir. O sentimento cansa. Mas a tranqüilidade do ser, no estado de amor, que Deus entende porque Cristo o entendeu, este é o verdadeiro estado de oração."

 
At sábado, 22 julho, 2006, Anonymous Anônimo said...

Na mesma linha dessas palavras tão... apofáticas de D. Bernardo Schuh, Hans Urs von Balthasar observa que, para São Gregório de Nissa, o "ser está implicado em todo juízo sobre Deus, é pressuposto como origem e termo de todo pensar". A este gigante entre os Padres, intelectual douto e criativo, "não é [porém] a dinâmica da ascensão [à maneira de Plotino talvez?] que realmente lhe interessa: pouco lhe importa pensar, ele quer amar.(...) Por aí ele é cristão; aí está situado seu Eros que ele exprime em termos únicos". O cristão contemplativo aprende a ordenar "o ardor do desejo para estabelecê-lo como verdade permanente da existência". O que só é possível porque descobre que o desejo não é "um absoluto"; não se inscreve numa cansativa dinâmica de progresso indefinido, respeitavelmente faustiano talvez, mas abre-se na acolhida do "desejo e amor de Deus" que "se identificam com a imagem de Deus em nós".(Hans Urs von Balthasar, introdução ao Comentário de S.Gregório de Nissa ao "Cântico dos Cânticos", Migne 1992.)

 
At domingo, 25 novembro, 2007, Blogger Urbano said...

PARABÉNS POR ESTE LINDO SITE.
http://www.youtube.com/watch?v=tijk2XNaScc
CLIQUE... DIVULGUE ESTE FILHO DE GREGÓRIO...
ABRAÇO,
ELIZABETH MEDEIROS

 
At quarta-feira, 14 setembro, 2011, Blogger carla lima said...

Gostaria de maiores informações à respeito de São Gregório ter sido casado. Como nesta condição pode ele ter se tornado padre. Sua esposa morreu? O que houve? Li em um outro site que ele a abandonou. Isto é verdade? Qual teria sido o motivo, a fim de ter sido acolhido como padre e, posteriormente bispo?
Desde já agradeço!
meu email: ramon.gomes30@yahoo.com.br

 

Postar um comentário

<< Home